Saiba como realizar o processo de inclusão de pessoas com deficiência

Mercado de trabalho
Saiba como realizar o processo de inclusão de pessoas com deficiência

Saiba como realizar o processo de inclusão de pessoas com deficiência


A inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho contribuiu para trazer mais dignidade para os mesmos. Além da geração de empregos, a inclusão também é uma forma das empresas e organizações exercerem uma importante função social, uma vez que proporcionando às pessoas com deficiência a oportunidade de realizar um trabalho remunerado, proporciona também o contato e a interação com outros profissionais. Ou seja, não trata-se apenas de oferecer um salário, mas uma oportunidade de se reabilitar socialmente e psicologicamente.

De acordo com a Lei de Cotas, toda empresa com cem ou mais empregados deve preencher de 2% a 5% dos seus cargos com pessoas portadoras de alguma deficiência. Quanto maior o número de empregados, maior a porcentagem de funcionários contratados pela Lei de Cotas. Vale lembrar também que essa porcentagem conta com aquelas pessoas que sofreram acidente de trabalho e que estão inclusos na reabilitação a readaptação.

O processo para contratar um profissional com deficiência envolve diferentes etapas e a atuação do departamento de Recursos Humanos é fundamental, principalmente para que esse processo não seja apenas algo quantitativo, mas sim qualitativo.

Confira os passos para realizar o processo de inclusão de pessoas com deficiência na sua empresa:

- Processo de recrutamento

Muitas empresas acabam usando o argumento de que é difícil encontrar pessoas com o perfil para as vagas de cotas. Mas não é bem assim. Apesar das dificuldades relacionadas ao preconceito, acesso a transporte público e capacitação que essas pessoas encontram no dia a dia, os números mostram que houve um crescimento de 1000% em deficientes nas universidades nos últimos anos.

O primeiro passo para o processo de recrutamento para incluir deficientes na empresa é entender que esse tipo de contratação não deve ser feito apenas para cumprir a Lei de Cotas, mas sim uma prática valorizada pela organização.

Todo o processo seletivo para contratar uma pessoa com deficiência deve ser realizado nos mesmos moldes de qualquer outro. O recrutador deve avaliar o candidato a partir dos mesmos critérios utilizados para uma pessoa sem deficiência, analisando habilidades, competências e desempenho profissional.

- Acessibilidade

O processo de inclusão de pessoas com deficiências - sejam elas visuais, auditivas ou de locomoção, por exemplo; também envolve investimentos em infraestrutura no ambiente de trabalho. Durante o processo seletivo, é importante que o RH fique atento às modificações que os candidatos precisam, caso sejam selecionados, e o investimento necessário para recebê-los.

Para realizar essas adaptações, é preciso considerar todos os tipos de ajustes: rampas e banheiros adaptados para cadeiras de rodas, mesas ajustadas, sinais sonoros, instruções em braile para os deficientes visuais, elevador, caso a empresa tenha mais de um andar, pessoas que saibam se comunicar em libras para auxiliar os surdos, entre outros.

É fundamental que as pessoas com deficiência consigam se locomover e conseguir realizar suas tarefas sem as barreiras causadas pela falta de acessibilidade. Tudo isso para que as pessoas com limitações se sintam parte da empresa e possam agir naturalmente, sem depender de ajuda o tempo todo.

- Conscientização e preparação da equipe

Tanto os gestores quanto a equipe de trabalho devem estar preparados e sensibilizados para lidar com a inclusão e se relacionar bem com os novos funcionários. Para tanto, palestras e treinamentos devem estar na lista de tarefas dos Recursos Humanos para que todos estejam preparados para lidar com a diversidade, ressaltando sempre que as limitações não significam menos competência e que o tratamento de ser de igual para igual. Todos devem “comprar” a ideia e entender o quanto a inclusão é importante para a pessoa com deficiência.

É preciso considerar que, muitas vezes, nem todas os profissionais estão preparados para lidar com a inclusão de pessoas com alguma deficiência. E isso se dá principalmente pela falta de experiência e contato, e não por falta de vontade.

- Treinamento dos colaboradores com deficiência

O treinamento e capacitação das pessoas com deficiência pode, e deve, ser realizado junto com as demais pessoas, sem discriminações. Todos devem participar das mesmas atividades e ter as mesmas orientações.

Reforçamos ainda que, ao contratar uma pessoa com alguma deficiência, é importante conceder uma oportunidade de trabalho digna, alinhada com as suas qualificações e competências.

- Acompanhamento dos colaboradores com deficiência

Os profissionais com deficiência também precisam ser ouvidos, assim como qualquer outro colaborador. Ninguém melhor do que as próprias pessoas com deficiência para indicar o que precisa ser melhorado na empresa, especialmente no quesito inclusão. Além disso, esse processo é importante também para que a empresa consiga auxiliar o profissional com as dificuldades, oferecendo cursos e treinamentos mais específicos quando necessário. Através desse acompanhamento, a empresa poderá se preparar melhor para reter mais colaboradores com deficiência.



Equipe CHAWork

Colunista: Equipe CHAWork


Buscar
Tags



Cadastre-se!

Faça o teste e encontre vagas de uma forma diferente.

Fazer o teste

Ganhe tempo, economize e seja mais assertiva no seu processo seletivo.

Cadastrar vagas

Curta no Facebook





Não há nada mais trágico neste mundo do que saber o que é certo e não fazê-lo.
Que tal mudarmos o mundo começando por nós mesmos ?

MARTIN LUTHER KING

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.